Atividade Física na Prevenção do Câncer de Mama

O mês de outubro é lembrado anualmente como “Outubro Rosa”, o mês da prevenção do câncer de mama e com isso é importante lembrar que as atividades físicas são de extrema importância para evitar o aparecimento, evolução e reincidência desta patologia. A prática dos exercícios físicos é um caminho que inicia muito antes de qualquer sintoma da doença.

“As doenças crônicas não transmissíveis estão entre as principais causas de morbimortalidade no mundo, especialmente o câncer. Para a sua prevenção, a atividade física figura como uma das estratégias”.  (Atividade Física e Prevenção de Câncer: Evidências, Reflexões e Apontamentos para o Sistema Único de Saúde. Rev. Bras. Cancerologia)

Dentre os diferentes tipos de câncer, o de mama apresenta-se como a neoplasia de maior índice de mortalidade no Brasil, apesar de seu prognóstico ser detectado com mais facilidade. Dados do Instituto Nacional do Câncer apontaram que para 2012 e 2013 o Brasil poderia chegar a 52.680 novos casos de câncer de mama com um risco estimado de 52 casos a cada 100 mil mulheres (Instituto Nacional de Câncer, 2012).

Existe muitos tratamentos atualmente para o câncer de mama (quimioterapia, radioterapia…), mas infelizmente são bastante agressivos e levam a desconfortáveis efeitos colaterais, como náuseas, perda de apetite, perda de cabelo, depressão, dificuldade respiratória, ganho de peso, fadiga e a caquexia. Assim, os exercícios físicos, entra como fator de prevenção. “A prática regular de atividade física, de acordo com as pesquisas promovidas pelo Instituto Nacional do Câncer, pode reduzir em até 30% a probabilidade de se desenvolver qualquer tipo de tumor”. (Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, 2015)

A falta da prática regular de exercícios compromete as atividades diárias, em função da perda da flexibilidade, forca e resistência muscular. Em uma revisão efetuada por Courneya et al. (2002) com mais de 40 estudos, a prática da atividade física e a qualidade de vida nos sobreviventes de câncer, mostraram que a atividade física, tanto durante a quimioterapia e radioterapia quanto no pós-tratamento, proporciona benefícios positivos na qualidade de vida com melhorias da aptidão, melhoria da composição corporal e redução da fadiga, bem como melhoria do estado de humor, tais como depressão e ansiedade, entre outros.

“Os pesquisadores da UNESP chegaram à conclusão de que é cada vez mais certo que a atividade física influencia não só o bem-estar e a qualidade de vida, mas também interfere na manutenção da saúde, contribuindo para o equilíbrio do metabolismo e, consequentemente, reduzindo os riscos do surgimento de doenças crônicas, como o câncer”. (SPINDOLA, 2017 – Revista CREF17)

 “O tratamento do câncer, com o exercício físico, garante a sobrevivência e dá uma maior qualidade de vida ao paciente, pois atenua os efeitos colaterais e a toxidade da quimioterapia, atrelando estes benefícios à capacidade funcional” (OLIVEIRA, 2015)

A prática de atividades físicas pode ser dividida em pequenos blocos de tempo por dia, afim de reduzir as tensões, manter a boa mobilidade articular e a sensação de bem-estar durante as atividades do trabalho. Faça suas atividades de modo que consiga inseri-la na sua rotina!

“Para benefícios adicionais à saúde, busque praticar atividade física de forma regular e aumentar progressivamente o tempo por semana. Cada minuto conta” (Guia atividade física população brasileira do Ministério da saúde)

Sobre o Autor

Morgana Lovato Cantarelli administrator

Proprietária da Empresa Corpo em Ação , educadora física formada no IPA (1991), especializada em pedagogia do treinamento desportivo, especializada em pilates, palestrante, professora de massoterapia e Estado do Rio Grande do Sul

Deixe uma resposta

CBDOILKaufen.com