Colesterol, o vilão silencioso.

Quando falamos a palavra colesterol, logo o nosso interlocutor fica assustado, não é para menos, pois o colesterol está associado a inúmeras doenças cardiovasculares.

O colesterol é uma substância produzida pelo nosso fígado, e é responsável por importantes ações como: a estruturação da membrana das células, a digestão, a produção de hormônios , vitamina D, testosterona, estrógeno, cortisol e ácidos biliares que ajudam na digestão das gorduras.

70% do colesterol são produzidos pelo corpo, os outros 30% são provenientes da alimentação. Entao, se a ingestão de alimentos gordurosos for elevada, automaticamente estes índices subirão consideravelmente.

Já falamos anteriormente quem é o colesterol bom e quem é o ruim. O que diferencia um do outro é o tipo de lipoproteína que carrega os lipídeos na circulação que predomina no sangue. O HDL ajuda a dissolver o LDL. Portanto, se os níveis de HDL estiverem baixos, os níveis de gordura circulando no sangue aumentam. Sendo assim, o risco do surgimento de doenças cardiovasculares é eminente. O colesterol elevado não está associado somente a obesidade, ter excesso de peso não significa ter colesterol alto, ou seja, pessoas magras também têm colesterol alto.

HDL (High Density Lipoprotein) colesterol BOM: é a lipoproteína que recolhe o colesterol acumulado nos vasos sanguíneos para eliminá-lo pelo fígado.

LDL (Low Density Lipoprotein), colesterol RUIM: é quando a lipoproteína acumulada, provoca o entupimento das artérias.

O colesterol alto é silencioso, ele não apresenta sintomas como outras disfunções bioquímicas no nosso corpo. Só é possível saber se os índices estão elevados com exames de sangue.

Conforme o Ministério da Saúde, 40% da população brasileira tem colesterol alto, solicite ao seu médico exames de colesterol total  de suas frações e triglicerídeos, com esta medida, já é  possível iniciar um programa de mudança de hábitos alimentares e rotina de exercícios físicos para combater possíveis doenças advindas do colesterol elevado. Lembrando que o tabagismo diminui a produção de colesterol bom (HDL).

Diminuir o consumo de álcool e cessando o tabagismo, além de fazer bem para saúde como um todo, ele auxiliará na melhora da produção do colesterol bom (HDL).

Sobre o Autor

Morgana Lovato Cantarelli administrator

Proprietária da Empresa Corpo em Ação , educadora física formada no IPA (1991), especializada em pedagogia do treinamento desportivo, especializada em pilates, palestrante, professora de massoterapia e Estado do Rio Grande do Sul

Deixe uma resposta