Janeiro Branco: O mundo pede saúde mental

A Campanha Janeiro Branco é uma campanha dedicada à construção de uma cultura da Saúde Mental na humanidade!

Estudos apontam que a saúde mental dos brasileiros está pior e se torna preocupação de empregadores. Mais de 50% dos trabalhadores estão com a sua mental comprometida. Especialistas reforçam a importância dos empregadores se preocuparem com o tema.

Janeiro Branco: quem cuida da mente, cuida da vida | SINPRO MG | Sindicato  dos Professores do Estado de Minas Gerais representa os docentes do setor  privado de ensino e conta hoje

O Janeiro Branco é uma campanha ao estilo da Campanha Outubro Rosa e da Campanha Novembro Azul. O seu objetivo é chamar a atenção da humanidade necessidades relacionadas à Saúde Mental e Emocional das pessoas e das instituições humanas.

Por que Janeiro Branco?

Porque no primeiro mês do ano, em termos simbólicos e culturais, as pessoas estão mais propensas a pensarem em suas vidas, em suas relações sociais, em suas condições de existência, em suas emoções e em seus sentidos existenciais.

E, como em uma “folha ou em uma tela em branco”, todas as pessoas podem ser inspiradas a escreverem ou a reescreverem as suas próprias histórias de vida.

Estatísticas:

Segundo dados da folha Vitória (em 16 de dezembro de 2021) a saúde mental dos brasileiros está pior e se torna preocupação de empregadores. Mais de 50% dos trabalhadores estão com a sua mental comprometida. Especialista afirma que ascensão do chamado “mundo BANI” reforçou a importância dos empregadores se preocuparem com o tema

Segundo a pesquisa One Year of Covid-19, da Ipsos para o Fórum Econômico Mundial, 53% dos brasileiros relatam piora na saúde mental no último ano de 2020. E as consultas psiquiátricas no período aumentaram em 25%, de acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria. Diante desses números, empregadores têm compreendido cada vez mais a necessidade de cuidar da saúde mental dos colaboradores.

Tais indicadores convergem para um cenário maior que também tem contribuído para tornar a saúde mental um ponto de destaque: a passagem do chamado mundo VUCA para o que o antropólogo e futurista norte-americano Jamais Cascio chamou de mundo BANI. Do inglês, VUCA indica um mundo “volatile, uncertain, complex, ambiguous” (volátil, incerto, complexo e ambíguo). Desde 2020, contudo, principalmente por causa da pandemia de COVID-19, outro acrônimo emergiu para tentar dar conta do caos: BANI, que indica “brittle, anxious, non-linear, incomprehensible” (frágil, ansioso, não-linear e incompreensível), segundo Cascio em seu artigo “Facing the Age of Chaos”.

Englobando o cenário do primeiro ano da pandemia de COVID-19 e contando com respondentes em 30 nações ao redor do mundo, a pesquisa da Ipsos posiciona o Brasil em quinto lugar entre 30 países no qual a população sentiu um declínio no bem-estar mental e emocional durante a pandemia. Segundo os dados da pesquisa, os três países onde a saúde mental mais pioraram foram Turquia (61%), Hungria (56%) e Chile (56%); por outro lado, o novo coronavírus teve impacto menor na saúde mental dos chineses (20%), indianos (27%) e australianos (32%), segundo o estudo.

Com o anúncio da Organização Mundial de Saúde (OMS), em novembro, sobre o risco global de contágio da variante Ômicron, é fundamental que os empregadores sigam sendo empáticos e atentos à qualidade de vida e bem-estar de seus colaboradores. O clima de instabilidade sanitária, social e econômica que ainda permanece diante de novas variantes e possíveis novas ondas deixam as pessoas em alerta para riscos; consequentemente, as empresas e o mundo do trabalho precisam considerar e respeitar tais cenários de ansiedade e fragilidade, para que possam seguirem em progresso e segurança.

Trabalho x saúde mental

Quanto mais favorável é o ambiente laboral, melhor estará a saúde mental das pessoas que nele trabalham.  Ansiedade; depressão; síndrome de burnout; frustração e queda da autoestima, estão cada vez mais presente na vida dos trabalhadores

Promoção da Saúde e Melhora da Qualidade de Vida no Trabalho

Existem diversas formas de promover a melhora da saúde mental no ambiente de trabalho. Uma delas é a implantação de um programa de ginastica laboral, massagem, avaliações físicas e consultorias psicológicas como dinâmicas de interação, superação e outras.

Fonte:

https://janeirobranco.com.br/

https://www.folhavitoria.com.br/geral/noticia/12/2021/saude-mental-de-brasileiros-esta-pior-e-se-torna-preocupacao-de-empregadores

Sobre o Autor

Morgana Lovato Cantarelli administrator

Proprietária da Empresa Corpo em Ação , educadora física formada no IPA (1991), especializada em pedagogia do treinamento desportivo, especializada em pilates, palestrante, professora de massoterapia e Estado do Rio Grande do Sul

Deixe uma resposta

CBDOILKaufen.com