Categoria Sem categoria

Vocês já ouviram falar em cefaleia tensional ou já passaram por isto alguma vez?

 A cefaleia tensional é um tipo de dor de cabeça que faz com que o paciente sinta um incômodo de leve a moderado, a pessoa sente como se tivesse uma faixa apertada ao redor de sua cabeça e pescoço, causando o incômodo da dor de cabeça. Vocês sabiam que isto pode estar associado a postura no trabalho?

Segundo O Dr. Alain Haggiag, criador do tratamento LIVA ( o tratamento para dores da cabeça, da face e das ATMs causadas pelo bruxismo de vigília),  há dois tipos de cefaleia tensional: a episódica e a crônica, leia a seguir:

cefaleia episódica está associada a um episódio de estresse. Normalmente, ela apresenta dor de cabeça moderada, autolimitada e que pode ser sanada com medicamentos.

Por sua vez, a cefaleia crônica pode se repetir diariamente, estando relacionada à musculatura contraída da região cervical e das têmporas. Nessa situação, a dor de cabeça é occipitofrontal e bilateral.

Descobrir o que está desencadeando a cefaleia tensional ajuda a encontrar o tratamento adequado para o seu caso.

Principais causas da cefaleia de tensão:

1. Estresse e ansiedade

Viver uma rotina acelerada e com frequentes conflitos pode gerar estresse crônico e crises de ansiedade, o que faz com que haja a contração dos músculos do pescoço e das têmporas do indivíduo. Com isso, você tem a sensação de que a sua cabeça está sendo comprimida.

2. Bruxismo de vigília

Basicamente, o bruxismo de vigília consiste no hábito de tensionar a mandíbula de maneira inconsciente ao longo do dia. Isso pode fazer com que você sinta dor na face.

3. Má postura

Qualquer atividade em que a cabeça permaneça na mesma posição, sem se mover por um longo período pode acarretar a cefaleia tensional. Entre elas estão postura inadequada em frente ao computador, ficar com a cabeça abaixada para visualizar o celular ou dormir em uma posição anormal.

Quais são os tratamentos indicados para a cefaleia tensional? 

O diagnóstico da cefaleia tensional é feito a partir da descrição dos sintomas, com exame neurológico e com a eletromiografia (exame que detecta a atividade anormal dos músculos da face).

Em uma palpação manual da musculatura pericraniana, o paciente pode demonstrar aumento da sensibilidade no local, por exemplo. Uma vez feito o diagnóstico, o especialista em dor orofacial vai indicar o melhor tratamento.

Mudanças no estilo de vida

O estilo de vida que a pessoa costuma levar se reflete no seu corpo. Como você viu, o estresse é uma das causas da cefaleia tensional. Sendo assim, é imprescindível repensar os seus hábitos e torná-los mais saudáveis.

Procure dormir oito horas por dia, ter uma alimentação equilibrada, bem praticar atividade física, realizar pausas no trabalho e alongar como evitar situações estressantes.

Se os sintomas persistirem mesmo assim, é essencial buscar ajuda médica para descobrir qual é a raiz do problema e, tratá-lo de forma apropriada.

Fonte:

https://livasaude.com.br/cafelia-tensional-causas-sintomas-tratamento/

https://www.rededorsaoluiz.com.br/doencas/cefaleia-tensional

O uso do computador, celulares e tabletes estão cada vez mais presentes no dia a dia, seja no trabalho ou no lazer, as pessoas passam grande parte do seu dia em frente às máquinas. Os principais desconfortos para quem usa excessivamente o computador são os olhos vermelhos ou irritados; a coceira na região ocular; a aparência de olhos cansados; olhos secos; vontade de piscar em demasia e a sensação de “areia” nos olhos.

Por conta disso, preparamos algumas dicas para vocês cuidarem da saúde dos olhos e prevenirem todos estes problemas.

Alguns estudos sugerem que se você passa mais de duas horas por dia em frente ao monitor, é possível que você sofra da Síndrome da Visão de Computador, em inglês conhecida como CVS. Essa síndrome afeta muitas pessoas, principalmente no ambiente de trabalho.

Os problemas do uso demasiado do computador são vários e vão desde a má postura até problemas relacionados aos olhos como ressecamento ocular, desconforto, fotofobia e visão turva.

 Para reduzir o desconforto preparamos 7 dicas para manter a saúde ocular ao trabalhar com computador:

1) Mantenha a tela na altura dos olhos

Ao organizar o seu ambiente de trabalho, é importante estar atento à altura e à distância dos equipamentos. A tela do computador, por exemplo, precisa estar na mesma direção que os seus olhos. Ainda, a altura ideal é aquela em que você não precisa levantar ou abaixar a cabeça. Com isso, você não prejudica sua saúde ocular. Caso contrário, a tendência é de que haja um maior esforço da musculatura do olho, fazendo com que ele fique ressecado.

2) Cuidado com o ar – condicionado

Como vivemos em um país tropical, o ar-condicionado se torna um item essencial. Embora não haja nenhum problema em melhorar a temperatura ambiente no seu trabalho, você precisa estar atento ao direcionamento do ar. Isso porque, quando o ar emitido por esses equipamentos está direcionado para os seus olhos, eles tendem a ressecar. Com essa desidratação, a vista fica mais vulnerável a outros problemas oculares.

3) Evite a “síndrome da visão de computador”

Apesar de não ser uma doença considerada pela ciência, o termo foi criado para descrever os efeitos do uso excessivo do computador. Para ajustar o foco e a definição do que enxergamos, os olhos estão constantemente tensionados. Neste sentido, o cansaço da visão é uma reação natural a essa tensão. A “síndrome da visão de computador” se caracteriza pela dor de cabeça constante, embaçamento da visão e olhos cansados, logo após o uso excessivo do computador.

4) Mantenha a distância adequada do computador

Não é só a altura da tela que impacta a sua saúde ocular. A distância entre os seus olhos e o computador deve ser de, pelo menos, 60 centímetros do seu rosto. Assim, você reduz os efeitos nocivos da luminosidade.

5) Faça pausas regulares

A rotina excessiva de trabalho faz com que as pessoas permaneçam, ininterruptamente, por horas em frente ao computador. Porém, assim como o corpo, a sua visão precisa descansar. Então, reserve pequenos intervalos do seu dia para dar uma pausa no trabalho. Ademais, parar por 15 minutos a cada duas horas já é suficiente para aliviar a tensão ocular. Aproveite essas pausas para ir ao banheiro, fazer um pequeno lanche, deitar no sofá, fazer uma ligação, entre outros.

6) Utilize óculos com proteção UV

Essa dica é apenas para quem já usa óculos de grau ou lentes. A iluminação da tela do computador emite a chamada luz visível, ou luz azul, uma radiação com grande potencial para prejudicar sua saúde ocular. Por isso, ao adquirir um novo par de óculos ou lentes de contato, dê preferência para aqueles que oferecem tecnologia de proteção contra esse tipo de luz. Dessa forma, você contribui para a manutenção da saúde dos seus olhos. Portanto, se você deseja evitar os principais problemas de visão causados pelo uso excessivo do computador, considere nossas dicas no seu dia-a-dia. Em consequência disso, você afasta o risco de causar prejuízos a sua saúde ocular.

7) Visite seu oftalmologista e realize exames regularmente.

Fonte: 

https://www.duooftalmologia.com.br/dicas-para-manter-a-saude-ocular-ao-trabalhar-com-computador/

https://www.oftalmocentro.com.br/novidades-blog/saude-dos-olhos-e-o-uso-de-computadores/

Dia 1º de maio celebramos o dia mundial do trabalho. Em comemoração a este dia, estamos trazendo algumas informações pra vocês sobre as novas regras sobre segurança e saúde no trabalho a partir de 2022.

Quais serão as principais mudanças na área de Segurança e Saúde no Trabalho?

Visando a maior qualidade de saúde e segurança aos trabalhadores, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) reformulou diversas Normas Regulamentadoras, a fim de torná-las mais fáceis de serem compreendidas e também aplicadas ao dia a dia das empresas.

Algumas alterações entraram em vigor ainda em 2021 e outras serão iniciadas a partir de janeiro de 2022. Esse período foi considerado para que as empresas tivessem tempo hábil para se adequarem às novas condições.

Entre as principais mudanças, destaca-se a implementação do Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR), cujo um dos objetivos é o gerenciamento de todos os tipos de riscos ocupacionais presentes na indústria.

Este programa foi criado segundo a Norma Regulamentadora NR-1, pela Portaria MTb nº 3.214, de 08/06/1978, com sua última atualização pela Portaria SEPRT nº 6.730, de 09/03/2020. Sendo assim é obrigatório o cumprimento das orientações definidas nesta norma em todo setor produtivo do país.

Outra mudança considerada importante é a digitalização de processos e documentos, o que poderá ser realizado por meio de programas como o eSocial.

A NR-1 considera disposições gerais quanto a essa nova forma de cumprir com as obrigatoriedades trabalhistas no formato digital, como você pode conferir abaixo:

1.6.1 As organizações devem prestar informações de segurança e saúde no trabalho em formato digital, conforme modelo aprovado pela STRAB, ouvida a SIT;
1.6.2 Os documentos previstos nas NR podem ser emitidos e armazenados em meio digital com certificado digital emitido no âmbito da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil), normatizada por lei específica;
1.6.3 Os documentos físicos, assinados manualmente, inclusive os anteriores à vigência desta NR, podem ser arquivados em meio digital, pelo período correspondente exigido pela legislação própria, mediante processo de digitalização conforme disposto em Lei;
1.6.3.1 O processo de digitalização deve ser realizado de forma a manter a integridade, a autenticidade e, se necessário, a confidencialidade do documento digital, com o emprego de certificado digital emitido no âmbito da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil).
1.6.4 O empregador deve garantir a preservação de todos os documentos digitais ou digitalizados por meio de procedimentos e tecnologias que permitam verificar, a qualquer tempo, sua validade jurídica em todo território nacional, garantindo permanentemente sua autenticidade, integridade, disponibilidade, rastreabilidade, irretratabilidade, privacidade e interoperabilidade.

NRs que entram em vigor a partir de 03/01/2022

Além das mudanças citadas acima, outras NRs atualizadas também passarão a valer a partir de janeiro. São elas:

  • NR-5: Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA;
  • NR-7: Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO);
  • NR-9: Avaliação e Controle das Exposições Ocupacionais a Agentes Físicos, Químicos e Biológicos;
  • Anexo 3 e 8 da NR-15: Atividades e Operações Insalubres;
  • NR-17: Ergonomia;
  • NR-18: Condições de Segurança e Saúde no Trabalho na Indústria da Construção;
  • NR-19: Explosivos;
  • Entre outras normas não ligadas diretamente a construção civil.

eSocial: Grupos 2 e 3 devem se atentar ao prazo de cadastramento

Mais uma mudança relevante na área de Segurança e Saúde no Trabalho para 2022 é a adequação das empresas dos grupos 2 e 3 no eSocial.
Conforme o cronograma lançado pela Receita Federal, a partir de janeiro, essas empresas precisam cadastrar as informações de saúde e segurança do trabalhador no sistema.

Fazem parte do grupo 2 as empresas com faturamento inferior a R$ 70 milhões, exceto empresas optantes pelo Simples Nacional, que estão enquadradas no grupo 3.

De acordo com as principais mudanças na área da segurança e saúde do trabalho, é importante avaliar se a sua Empresa está adequada às novas condições.

Fonte: http://seconci.com.br/

O ato de respirar é tão natural que nem percebemos o quanto ele mexe com o nosso corpo. E, embora todos já nasçam sabendo respirar, poucos têm ideia que esse processo, tão automático quanto essencial, pode ser uma importante ferramenta para melhorar a qualidade de vida.

A função básica do sistema respiratório é proporcionar a entrada de oxigênio ao organismo e a remoção do gás carbônico através da ventilação pulmonar e outros mecanismos de controle desse sistema. “O oxigênio se move do ar até o sangue venoso e o dióxido de carbono faz o movimento contrário. O pulmão também realiza outras funções. Metaboliza alguns compostos, filtra materiais não desejados da circulação e age como um reservatório para o sangue” (WEST, 2015).

Este trabalho feito pelo sistema respiratório é realizado de modo involuntário, ou seja, não controlamos esta ação. Contudo, é interessante saber que em condições de controle voluntário da respiração, algumas regiões do nosso corpo são ativadas.

Durante a ação respiratória, as células vão se alimentando, vitalizando e sendo desintoxicadas. Uma boa respiração favorece todo nosso corpo, trazendo benefícios para os rins, fígado, pulmão, intestinos, coração e pele. Além disso, melhora a circulação sanguínea e a memória, regenera as células, acalma o corpo e  a mente, reduzindo assim o estresse. (OPAS, 2018)

Então, para isso, devemos prestar atenção em como respirar corretamente. “A respiração correta é fundamental para a saúde. Erros de postura e algumas doenças geram tensões que podem bloquear a respiração. Asma, bronquite, por exemplo, causam obstruções que prejudicam a respiração”. (Respiração – Ministério da Saúde).

Para o trabalhador, a reeducação respiratória, aliada a uma atividade física regular, proporciona um melhor desempenho geral no trabalho. “Tenha uma postura confortável, na qual toda a região posterior da coluna fique apoiada, o que permite um maior alongamento dos músculos envolvidos na respiração. Os pés devem estar encostados no chão, e os ombros relaxados para que os músculos da região da cintura também fiquem relaxados” (Respiração – Ministério da Saúde).  

Depois organize a postura adequadamente, siga os próximos passos:

1) Inspire lentamente pelo nariz, permitindo que o ar passe o pescoço, peitoral e chegue até a região do umbigo.

2) Expire lentamente fazendo com que o percurso que o ar fez para entrar também faça para sair. Permita que o ar seja expelido da região do umbigo, passando pelo peitoral, pescoço, liberando o ar externamente pela região da boca.

Converse com um profissional para que ele possa auxiliá-lo na realização correta  da respiração.

Vocês sabiam que o outono no Brasil é conhecido como estação das frutas? Em razão da coincidência dessa estação, também é a época de colheita de várias espécies frutíferas.
Vamos manter uma dieta saudável e equilibrada com os alimentos de Outono?
Confiram as dicas que a nossa parceira Nutricionista Luciana Medeiros preparou pra vocês.

O Outono é a estação do ano que nos convida a trazer reflexões do que queremos eliminar, soltar e deixar ir, o que é desnecessário. Pensando no que a época tem a nos oferecer, é o momento de semear para colher no futuro. Por isso, é o momento de cuidar e fortalecer os nossos sistemas imunológico, cardiorrespiratório, pele e intestino.
A natureza é sábia e oferece exatamente o que precisamos em cada estação. No outono, por exemplo, por ser o momento de fortalecimento para nos prepararmos para o inverno, temos frutas ricas em vitamina C, fitoquímicos, minerais e fibras. Entre os alimentos da época, temos: algas, pepino, rabanete, nabo, repolho, agrião, aspargos, mandioca, abóboras, chuchu, cenoura, azeitona, amêndoa, alho poró, cebola, sálvia, alecrim, cominho e cravo. Além de frutas como as bananas, maçãs, peras, abacaxi, mamão, laranja, bergamota, limão, abacate.
Como consumir esses alimentos?
Procure ingerir de forma variada, assim irá ingerir diferentes nutrientes.
Opte por preparações quentes, como legumes aquecidos, sopas e cremes.
Não esqueça das frutas, com a opção de consumir in natura, frutas secas ou aquecidas – Exemplo: maçã ou banana aquecida com canela.

Seguindo uma nutrição com alimentos dessa sazonalidade, você terá benefícios físicos e psicológicos, preparando o organismo para agir com eficiência agora e nas próximas épocas do ano.

Luciana R. Medeiros
Nutricão Esportiva e Integrativa
Especialista em Fisiologia do Exercicio e Nutrição Esportiva
Profiisonal de Eduação Física
CRN2 9934

Vocês sabiam que a fibromialgia acomete de 2 a 22% da população de todo o mundo, predominantemente mulheres? No Brasil a prevalência da doença varia entre 2,5 a 4,4% da população, sendo a segunda maior causa de doença reumatológica depois da osteoartrose.

O  QUE É FIBROMIALGIA?

É uma doença reumatológica que afeta a musculatura causando dor. Por ser uma síndrome, essa dor está associada a outros sintomas, como fadiga, alterações do sono, distúrbios intestinais, depressão e ansiedade.

QUAL É A CAUSA DA FIBROMIALGIA?

Como muitas das doenças reumatológicas, a fibromialgia (FM) não tem suas causas e mecanismos totalmente esclarecidos. O que sabemos é que a pessoa que tem FM possui maior sensibilidade à dor e isso tem relação com o centro de dor no sistema nervoso. Desta maneira, nervos, medula e cérebro, fazem que qualquer estímulo doloroso seja mais intenso.

SINTOMAS:

Os sintomas são muito variáveis, em aparecimento e intensidade, entretanto alguns critérios de diagnóstico podem auxiliar na suspeição clínica:

  • Dor por mais de três meses em todo ou qualquer parte do corpo;
  • Presença de pontos dolorosos na musculatura (18 pontos pré-estabelecidos);
  • Alteração do sono e fadiga;
  • Quadro de depressão ou ansiedade;
  • Alterações do hábito intestinal;
  • Alterações cognitivas, como falta de memória ou concentração.

EXERCÍCIO FÍSICO E FIBROMIALGA.

O exercício é um dos tratamentos mais eficazes para a fibromialgia. Combate todos os sintomas da doença, incluindo dor, fadiga e problemas de sono. A atividade física pode ajudar a manter a massa óssea, melhorar o equilíbrio, reduzir o estresse e aumentar a força. Fazer exercícios regulares também auxilia no controle de peso, o que é importante para reduzir a dor da fibromialgia.

 Comece devagar: pacientes com fibromialgia precisam começar muito devagar para o corpo entender a mudança. A ideia é começar com uma dose baixa e aumentar ao longo do tempo.

Faça algo todos os dias: para obter o máximo benefício do exercício, você realmente precisa fazer isso diariamente ou quase. As melhores opções são as caminhadas ou usar uma academia, pois são atividades facilmente acessíveis a maioria dos dias do ano.

Se exercitar em uma piscina quente é outra boa maneira de começar as atividades. A água quente tem um efeito calmante e relaxante nos músculos e nas articulações e podem tornar o exercício menos doloroso. Ciclismo, corrida, yoga, treinamento de força e aulas de exercícios de baixo impacto são apenas algumas outras maneiras de se exercitar e ajudar a aliviar os sintomas da fibromialgia.

O mais importante é encontrar o tipo de exercício que mais agrade  e  que  faça se sentir bem. 

Fonte:

-https://www.reumatologia.org.br/doencas-reumaticas/fibromialgia-e-doencas-articulares-inflamatorias/

-https://noticias.ufsc.br/2021/07/pesquisa-da-ufsc-sobre-fibromialgia-e-capa-de-revista-cientifica-internacional/

-https://altadiagnosticos.com.br/saude/fibromialgia

-https://ge.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/um-passo-de-cada-vez-ortopedista-lista-exercicios-para-quem-tem-fibromialgia.ghtml

No dia 6 de abril celebramos o dia mundial da atividade física; e no dia 7 de abril, o dia mundial da saúde. Mas o que estas duas datas têm em comum? Ahhhh muita coisa! 

Como vocês definem a Saúde e a Qualidade da  Vida de vocês? 

Para celebrarmos estas datas, estamos trazendo algumas reflexões e algumas dicas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúdequalidade de vida é “a percepção do indivíduo de sua inserção na vida, no contexto da cultura e sistemas de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”. Vocês já pensaram nisso?

A maioria dos problemas de saúde da atualidade acontecem porque mantemos hábitos aprendidos culturalmente e que prejudicam nosso organismo. Mudar o nosso comportamento é um grande desafio. 

Nossas atitudes regem nossa vida. Podemos escolher o que e quando fazer, mas nunca podemos escolher mudar as consequências, elas fazem parte do pacote. Quer ter resultados diferentes? Aprenda como mudar hábitos. 

Conquistar uma boa saúde envolve alguns passos importantes: conscientização, decisão e mudança. 

Como mudar hábitos?

A fase da mudança de hábitos é desafiadora. As pessoas cometem alguns erros que as impedem de alcançarem resultados.

Para entender como os hábitos se formam, é importante buscar informações de como nosso organismo funciona. Você sabe como o cérebro trabalha quando se trata de mudar costumes? 

Neuroplasticidade é a capacidade que o cérebro tem de se adaptar a mudanças por meio do sistema nervoso. Ela permite que sejam criadas novas conexões sinápticas. Os neurônios seguem caminhos que podem ser remodelados por meio de um trabalho que envolve vivências, pensamentos, emoções, comportamentos, necessidades pessoais e o próprio ambiente em que se está inserido. 

Criar ou eliminar um hábito envolve uma mudança neuroplástica no cérebro. Quando uma pessoa deseja algo é porque seu cérebro plástico se tornou sensível à substância ou experiência que estava acostumado. 

Um hábito não se forma e não se perde de uma hora para a outra. Acontece dentro de uma construção, dia a dia.

 Um estudo publicado no  European Journal of Social Psychology abordou esse assunto e demonstrou que não se pode definir uma quantidade de dias para que uma prática se torne um hábito. Segundo o estudo, uma pessoa pode desenvolver o hábito de correr todos os dias em três semanas, mas para aprender uma nova língua, é necessário mais tempo. 

Quando repetimos um comportamento por um grande período de tempo, esse circuito é fixado no cérebro de forma quase automática. Para a psicóloga social Wendy Woods as decisões de mudar hábitos precisam ser conscientes, aí sim, se tornar um hábito. 

DICAS:

  1. Anote os hábitos que precisa mudar 
  2. Defina prioridades
  3. Comece com mudanças de hábitos simples 
  4. Espalhe lembrete
  5. Deixe tudo preparado
  6. Consiga e ofereça apoio 
  7. Não desista 

VAMOS INCLUIR UM HÁBITO SAUDÁVEL NA ROTINA?

PRATIQUE EXERCÍCIOS REGULARMENTE 

Esse é um dos principais hábitos que devemos incluir na nossa rotina. A prática regular de atividade física previne diversas doenças, como diabetes, câncer, osteoporose, depressão e doenças cardiovasculares. 

Os benefícios são enormes, além de prevenir doenças, o sono é regularizado, melhora a disposição, o humor, a autoestima e a sensação de bem-estar é maravilhosa. 

É fundamental sair do sedentarismo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), para se tornar ativo fisicamente é preciso realizar entre 150 e 300 minutos de atividade física moderada a vigorosa por semana para adultos.

A intenção da OMS com definições mais rígidas têm como objetivo incentivar as pessoas a deixarem de ser sedentárias e combater o risco de doenças e morte precoce. A atividade física é fundamental para combater algumas doenças crônicas, como problemas cardíacos, diabetes tipo 2 e câncer. Elas também reduzem os sintomas de depressão e ansiedade, além de diminuir o declínio cognitivo e melhorar a memória.

     Os números apontados pela entidade são preocupantes. Estima-se que 25% dos adultos sejam sedentários. Entre adolescentes, o índice é muito mais alarmante, atingindo 80% dos jovens. Manter o corpo parado custa cerca de US$ 54 bilhões anuais em assistência médica em todo o mundo. A conta é engrossada por outros US$ 14 bilhões desperdiçados por falta de produtividade.

Então, vamos incluir este hábito tão saudável na rotina? Já prepara o tênis e a roupa confortável.

Não deixe de procurar o seu médico para atestar boas condições para iniciar um programa de exercícios físicos e um profissional de educação física para melhores orientações. 

BOA SORTE  e BOA SAÚDE!

 Fonte:

–  www.vidanatural.org.br

https://hemos.com.br/blog/simples-habitos-que-contribuem-com-a-sua-saude-e-qualidade-de-vida/

– Organização Mundial da Saúde (OMS)

É importante entender que para executar as atividades de labor com eficácia, precisamos garantir a segurança e a eficiência na postura corporal que assumimos quando executamos as atividades.  Existe uma cadeia de músculos responsáveis boa postura por mantermos postura corporal, preservando desta forma, a saúde da nossa coluna. 

Entendendo a importância dos músculos abdominais na postura do corpo

Quando conversamos em público, trabalhamos os músculos abdominais.  Esta ação exige um trabalho intenso dos músculos abdominais quando fazemos a mudança na altura da voz, e também na sua intensidade. No caso de trabalhar sentado, por exemplo, os músculos sustentam o tronco para não cairmos sobre a mesa, e no trabalho em pé, os músculos sustentam o tronco para não  cairmos no chão.

Estar diante do posto de trabalho sem ter uma rotina de exercícios específicos que auxiliem na compreensão de qual é a postura mais adequada para a realização das atividades, pode aumentar a pressão da coluna e compressão lombar.

Atualmente, é reconhecido que no déficit da força e da flexibilidade, devido à inatividade física, podem ocorrer distúrbios no sistema musculoesqueléticos que causam dor e desconforto, com perdas na renda familiar, incapacidade crescente e aposentadoria precoce (RIDER; DALY, 1991, POLLOCK; WILMORE, 1993).

Segundo MASSARA (1986), na postura corporal convergem todos os elementos que caracterizam o movimento. A postura não é somente a expressão mecânica do equilíbrio do corpo, mas é a expressão da personalidade, a manifestação da unidade psicologia com seu corpo físico. Partindo desse princípio, não basta apenas haver uma intervenção corretiva, mas sim, devemos também observar os fatores os fatores externos e nos posicionar corretamente diante deles. 

Na postura corporal agregam-se os elementos que caracterizam o movimento. Eles estão associados aos fatores sociais, ambientais, psicológicos, emotivos e funcionais do dia-a-dia. Se num processo educativo, preventivo e reeducativo, não levarmos em consideração esses fatores, qualquer alteração do corpo será feita em um momento de perturbação, e o processo de recuperação será mais demorado e seu efeito poderá gerar mais desequilíbrios (BANKOFF, 1994).

Segundo CAILLET (1988), a postura pode ser considerada boa, se o indivíduo na posição estática, não ficar cansado, apresentar uma aparência aceitável. Já a postura incorreta causa um esforço ligamentar prolongado que gera desconforto. A má postura está associada à contração muscular excessiva, que produz estímulos dolorosos, levando a pessoa às posturas inadequadas.

A desordem postural é frequente em indivíduos que realizam movimentos repetitivos e sustentação de cargas pesadas (RASCH; BURKE, 1977, OBERG, 1993). Em casos de lombalgia, a sustentação de peso é assumida pela coluna vertebral ocasionando a compressão das raízes nervosas e originando dores (KOTTKE et al.,1986).

Portanto, a inclusão de atividades paralelas, como a ginástica laboral (alongamentos, exercícios posturais, fortalecimento muscular), orientações posturais e ergonômicas é fundamental para a prevenção das doenças ocupacionais, principalmente as doenças relacionadas a coluna.

Vamos praticar saúde? Exercite-se, fortaleça os músculos responsáveis pela tua postura no trabalho.


O friozinho está chegando! A estação de outono inicia-se no dia 20 de março e é caracterizada pelas folhas nas árvores que secam e caem. Outra característica relacionada ao clima é que a umidade do ar diminui e a ocorrência de ventanias e nevoeiros é maior. Mas que cuidados devemos ter nesta Estação? É necessário que façamos pequenas adaptações no estilo de vida, para que nosso corpo se acostume com facilidade às alterações no clima e na natureza.

No outono os dias começam a ficar mais curtos e as noites mais longas porque o Sol tende a nascer mais tarde e se pôr mais cedo nesse período.

A temperatura, antes elevada no verão, começa a esfriar. O clima é ameno, não sendo tão quente quanto no verão e ainda não tão frio quanto no inverno.

Para que o nosso corpo se acostume com facilidade às alterações no clima e a natureza, confiram algums dicas:

  • Mantenha os ambientes arejados: Procure arejar os ambientes durante o dia. A circulação de ar e o sol evitam que as bactérias se proliferem.
  • Evite a proliferação dos ácaros: Procure lavar com frequência cobertores e colchas de modo a evitar a proliferação de ácaros. Isso aliviará aquele conhecido cheiro de mofo que tanto dificulta a vida dos alérgicos.
  • Mantenha o hábito de lavar as mãos: Lavar as mãos com água e sabão várias vezes durante o dia previne não só o coronavírus, mas também, o acúmulo de bactérias. Segundo a Organização Mundial da Saúde, lavar as mãos reduz em até 40% o risco de contrair doenças como gripe, diarreia, infecção estomacal, conjuntivite e dor de garganta.
  • Evite lugares com aglomeração de pessoas: Sempre que possível, evite multidões e lugares fechados. Nesses ambientes, a circulação de vírus e bactérias acontece de forma mais livre e intensa.
  • Mantenha alimentação equilibrada: Manter uma alimentação equilibrada é importante para uma boa saúde. Sopas e caldos de legumes são bem-vindos, já que nutrem, hidratam e ainda têm uma temperatura agradável.
  • Mantenha a pele hidratada: Nas estações mais frias a pele sofre mais danos de ressecamento, em dias de sol, a temperatura pode se elevar e  a pele do rosto pode sofrer queimaduras, por isso, use protetor solar. Cuide a temperatura da água do chuveiro para não ser tão quente.  Mantenha a pele hidratada com uso de cremes específicos e ingestão de água sempre. 
  • Deixe a preguiça de lado e exercite-se: A tendência é ficarmos mais preguiçosos em dias frios, mas o exercício físico ajuda a fortalecer a nossa imunidade e melhorar a nossa qualidade de vida.

Gostaram das dicas? Então “bora” colocá-las em prática! Boa semana a todos!


Fonte:

http://blog.saude.mg.gov.br/2018/03/20/outono-chegada-da-nova-estacao-requer-alguns-cuidados-com-a-saude/

https://blog.segurosunimed.com.br/cuidados-com-saude-outono-e-inverno/

Voltamos a falar da Síndrome de Burnout aqui no nosso canal.

O problema é reconhecido pela OMS e faz cada vez mais vítimas.

A síndrome do esgotamento profissional entra na lista oficial da Organização Mundial da Saúde (OMS) como um “fenômeno ocupacional “em meio a uma alta de diagnósticos.

Cansaço que não passa, falta de vontade e irritabilidade, déficit de memória e até dores podem ser sinais de burnout. 

Na CID-11, que passou a vigorar em janeiro de 2022, ele ganha oficialmente o entendimento mais aceito pelos especialistas, o de um esgotamento que é fruto do “estresse crônico no local de trabalho”.

Embora conste na nova CID, o burnout ainda não tem status de doença. A OMS prefere situá-lo como “fenômeno ocupacional” ou uma síndrome, palavra que, na terminologia médica, se refere a um conjunto de sintomas, sejam eles físicos, psíquicos ou emocionais.

Segundo especialistas, Burnout não é um mero cansaço:

Casaço:  é um estado de fraqueza ou indisposição depois de um esforço físico ou mental.

Fadiga: é uma sensação de cansaço persistente que costuma indicar uma doença como anemia, fibromialgia, depressão e outras. Esses sintomas precisam de mais atenção e cuidados, sendo necessário um diagnóstico médico para tratar o problema, no caso.

CUIDADOS IMPORTANTES PARA PREVENIR:

Segundo a  advogada Lúcia Chamone, presidente da Comissão de Direito à Saúde Mental da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MG), “ um trabalhador mentalmente saudável vive e produz mais e melhor. Isso é bom para o empregado, para o empregador e para a sociedade”.

A psicóloga do Trabalho, Sandra Rego, destaca que a pessoa que sofre com a Síndrome de Burnout deve refletir sobre o autocuidado: “o que estou fazendo comigo mesmo?”

Para melhorar o transtorno, a psicóloga indica:

  • Buscar ajuda psicológica para resgatar a autoestima/autoconfiança;
  • Fazer atividades prazerosas e de relaxamento. Ex: contato com a natureza;
  • Praticar atividades físicas;
  • Alimentação balanceada;
  • Melhorar a qualidade do sono;
  • Convívio com amigos e familiares.

Adotar práticas de prevenção é fundamental para reduzir o absenteísmo e aumentar a produtividade. Empresas que investem em Programas de Promoção da Saúde Física e Mental demonstram comprometimento com o futuro.

Fonte: https://www.migalhas.com.br/quentes/357883/oms-reconhece-burnout-como-doenca-do-trabalho-o-que-muda

https://saude.abril.com.br/mente-saudavel/burnout-e-reconhecido-pela-oms
CBDOILKaufen.com