Categoria Sem categoria

Vivemos em um universo veloz, onde tudo é rápido, de fácil acesso, conectividade e praticidade. Apesar de nossos smartphones serem praticamente minicomputadores, ainda dependemos do computador para trabalhar e nos dedicarmos as tarefas que demandam mais tempo.

Otimizando cada vez mais espaço nos escritórios, os notebooks representam hoje a grande fatia do mercado da informática. Não é para menos, pois hoje, o nosso escritório vai para praia, serra, aeroporto, rodoviária. Estamos online e trabalhando em qualquer lugar.

Apesar da praticidade, o notebook não foi projetado para passarmos longas jornadas de trabalho diante dele. Projetado para ações rápidas e para resolver problemas de mobilidade, transporte de informações, trabalhos de curta duração, apresentação de projetos, reuniões e outros, algumas empresas têm optado pelo notebook, onde os funcionários podem ,inclusive ,levar o trabalho para casa, viagens e reuniões externas. A escolha do notebook ou desktop (computador de mesa) deve ser de acordo com o perfil de cada empresa.

A ergonomia voltada para o uso de notebooks parte dos mesmos princípios da ergonomia para uso de desktops. Caso você desconheça a postura correta diante do computador, aqui no site da Corpo em Ação, disponibilizamos o “Guia da Postura Correta”, na imagem abaixo está descrito como devemos nos posicionar corretamente ao longo das jornadas em frente ao computador. 

Quando usamos o notebook por muitas horas, devemos incluir alguns acessórios para tornar a utilização ergonomicamente correta sem causar danos à saúde. Preferencialmente utilize o notebook como uma CPU, conecte um monitor devidamente ajustado na altura dos olhos, mouse, mouse pad com apoio para punho, e teclado a parte. Caso não seja possível conectar-se a um monitor que fique na altura correta diante dos olhos, conforme o Guia da Postura Correta, devemos utilizar suportes que elevem o notebook até a altura correta, lembrando sempre de utilizar os outros componentes junto. 

Quando não nos posicionamos de maneira adequada diante do notebook, normalmente ficamos em uma posição cifótica e com o pescoço projetado para frente, ombros fechados e braços encolhidos. Imagine ficar assim por 8 ou 10 horas trabalhando? Ao final do dia estaremos esgotados, com a sensação de que um trator passou por cima do nosso corpo. Por isso, utilizar os periféricos adequados, monitorar sua postura ao longo do dia e praticar alongamentos durante a jornada de trabalho, são requisitos básicos para uma boa saúde ocupacional, qualidade de vida e maior produtividade.

Orientação postural e ginástica laboral são as opções adequadas para cuidar da saúde do trabalhador no ambiente de trabalho. A Corpo em Ação oferece estes e outros serviços corporativos, entre em contato conosco para maiores informações. Temos o projeto de saúde adequado para o seu formato de empresa.

Quando falamos a palavra colesterol, logo o nosso interlocutor fica assustado, não é para menos, pois o colesterol está associado a inúmeras doenças cardiovasculares.

O colesterol é uma substância produzida pelo nosso fígado, e é responsável por importantes ações como: a estruturação da membrana das células, a digestão, a produção de hormônios , vitamina D, testosterona, estrógeno, cortisol e ácidos biliares que ajudam na digestão das gorduras.

70% do colesterol são produzidos pelo corpo, os outros 30% são provenientes da alimentação. Entao, se a ingestão de alimentos gordurosos for elevada, automaticamente estes índices subirão consideravelmente.

Já falamos anteriormente quem é o colesterol bom e quem é o ruim. O que diferencia um do outro é o tipo de lipoproteína que carrega os lipídeos na circulação que predomina no sangue. O HDL ajuda a dissolver o LDL. Portanto, se os níveis de HDL estiverem baixos, os níveis de gordura circulando no sangue aumentam. Sendo assim, o risco do surgimento de doenças cardiovasculares é eminente. O colesterol elevado não está associado somente a obesidade, ter excesso de peso não significa ter colesterol alto, ou seja, pessoas magras também têm colesterol alto.

HDL (High Density Lipoprotein) colesterol BOM: é a lipoproteína que recolhe o colesterol acumulado nos vasos sanguíneos para eliminá-lo pelo fígado.

LDL (Low Density Lipoprotein), colesterol RUIM: é quando a lipoproteína acumulada, provoca o entupimento das artérias.

O colesterol alto é silencioso, ele não apresenta sintomas como outras disfunções bioquímicas no nosso corpo. Só é possível saber se os índices estão elevados com exames de sangue.

Conforme o Ministério da Saúde, 40% da população brasileira tem colesterol alto, solicite ao seu médico exames de colesterol total  de suas frações e triglicerídeos, com esta medida, já é  possível iniciar um programa de mudança de hábitos alimentares e rotina de exercícios físicos para combater possíveis doenças advindas do colesterol elevado. Lembrando que o tabagismo diminui a produção de colesterol bom (HDL).

Diminuir o consumo de álcool e cessando o tabagismo, além de fazer bem para saúde como um todo, ele auxiliará na melhora da produção do colesterol bom (HDL).

A atividade física é fundamental para uma boa saúde; combate o sedentarismo, auxilia no controle dos níveis de colesterol, bem como a melhora da capacidade cardiorrespiratória, evita o aparecimento de doenças coronarianas como a hipertensão, aterosclerose entre outras. Mais do que melhorar a nossa saúde, a atividade física é fundamental no desenvolvimento das crianças, ela melhora as relações interpessoais com os  pequenos, desenvolve a lateralidade, motricidade ampla e fina dos movimentos e coordenação motora. Mas você tem praticado atividade física com o seu filho? No dia dos pais a Corpo em Ação traz a importante reflexão sobre a qualidade do tempo que passamos com nossos filhos.

A importância de praticar atividade física com os filhos

Há quanto tempo a bola de futebol não sente a grama do parque? Tomar sol nos horários adequados estimula a produção de vitamina D, que é essencial para o desenvolvimento dos ossos. Conforme o Hospital Sírio Libanês, a vitamina D  ainda exerce outras funções essenciais para a saúde como a regulação do crescimento, sistema imunológico, cardiovascular, músculos, metabolismo e insulina. Bora para o parque? Vamos deixar de viver um pouco, a vida através da lente do smartphone. A melhor lente para registrar os momentos que você passa com o seu filho são as lentes dos seus olhos. Essas memórias jamais sairão do HD que é a memória do seu filho.

De acordo com a Fiocruz, cerca de 15% das crianças e 8% dos adolescentes sofrem de problemas de obesidade, e oito em cada dez adolescentes continuam obesos na fase adulta. A falta de atividade física e consumo de alimentos gordurosos estão no topo da lista de motivos que levam a esses resultados, jogos eletrônicos, smartphones e uma vida digitalizada demais também colaboram para o sedentarismo precoce. Estimular a atividade física e bons hábitos alimentares são atitudes positivas que os pais devem adotar.  Por que não praticar juntos? Andar de bicicleta, realizar atividades ao ar livre, nadar, pular corda, brincar de pega-pega são atividades que podem ser realizadas entre pais e filhos. Aproveite o dia dos pais para fazerem algo juntos!

Nossa equipe acredita em todas as formas de Pai. Tem pai que é mãe, tem mãe que é pai, avó que é pai, avô que é pai, tia que é pai, tio que é pai. Leve a mãe, o tio, o avô, o melhor amigo, mas o importante é não ficar parado. Afinal, atividade física é saúde, é vida, e saúde é o que melhor podemos desejar para quem amamos.

Feliz dia dos Pais!

Vocês trabalham de pé ou sentados?Sentem cansaços e dores nas pernas?  Independente da resposta, vamos explicar como isso acontece.

Alguns sintomas podem aparecer durante a jornada de trabalho para quem trabalha de pé, são eles: dores nas pernas e nas costas, formigamento, fadiga, varizes e cansaço muscular. De acordo com o Ministério da Saúde, quem trabalha muito tempo de pé acaba centralizando mais sangue nas pernas e ainda sobrecarregando as articulações do quadril e joelhos. Essa conduta acaba por sobrecarregar outros órgãos como o coração, que terá que fazer mais esforço para promover a circulação. Pessoas que trabalham sentadas apresentam os mesmos sintomas, mas devido a outras condutas posturais.  Afinal, nosso corpo foi feito para se movimentar e a estática é um vilão e tanto para que as dores e formigamentos nas pernas apareçam. Muito desses formigamentos se devem a pressão que exercemos na parte posterior das coxas por estarmos sentados durante muitas horas na mesma posição ou mal posicionados.

Má circulação pode afetar todos os trabalhadores independente de sua postura laboral, seja de pé ou sentado. Mas o que é má circulação? É conhecida também como doença arterial periférica, caracterizada pela dificuldade do sangue passar pelas veias e artérias. Ela não está relacionada somente a postura no posto de trabalho, e sim devido a uma série de fatores e comportamentos como: má alimentação, uso prolongado de medicamentos como anticoncepcionais, no caso das mulheres, desgaste natural das artérias, tabagismo e sedentarismo. 

O que fazer para evitar a má circulação e manter a saúde das pernas? Evite alimentos gordurosos que elevam os índices de colesterol e triglicerídeos, mantenha uma rotina de exercícios e uma alimentação equilibrada para uma boa saúde. Alongue-se durante a jornada de trabalho, realize pequenas pausas para relaxar independente do seu posto de trabalho.

Se você trabalha de pé siga essas dicas: Use sapatos confortáveis e roupas leves, alterne o peso do corpo de uma perna para outra, mude de posição, flexione os joelhos ao abaixar-se e também ao longo do dia,  quando for pegar peso, traga-o para próximo do corpo, procure sentar-se durante os intervalos. 

Se você trabalha sentado siga essas dicas: Levante-se a cada uma hora, faça pausas, caminhe, evite pedir para o seu colega pegar a sua impressão, vá até a impressora você mesmo, faça pequenos deslocamentos, estenda as pernas, revise sua postura sempre que possível,  procure posicionar as pernas num ângulo de 90°. Qualquer sintoma diferente procure o seu médico de confiança!

Vocês sabiam que as lombalgias são responsáveis pelo número elevado de absenteísmo no trabalho? Segundo dados estatísticos do Ministério da Previdência Social, a dor nas costas é o principal motivo de afastamentos do trabalho no Brasil por mais de 15 dias. Em 2016, 116.371 pessoas tiveram de se ausentar do emprego por, no mínimo, duas semanas em razão desta enfermidade.

Conhecida popularmente como dor nas costas, as lombalgias atingem pelo menos 65% a 80% da população mundial em alguma etapa da vida.  Ou seja, 90% da população terá pelo menos uma crise lombalgia na vida. É uma das maiores queixas nos consultórios médicos, perdendo apenas para gripes e resfriados segundo a OMS.

O que seria o mau uso da coluna vertebral? O mau uso da coluna vertebral é advindo da má postura, uso excessivo de computadores, smartphones, muito tempo na mesma posição, esforço repetitivo, exercícios sem orientação profissional, carregar peso de maneira incorreta, uso de mochilas pesadas, condicionamento físico inadequado. As causas das lombalgias são diversas, além dos comportamentos inadequados, contamos ainda com uma série de patologias que colaboram para o aparecimento da dor como artrose, osteoporose, obesidade, sedentarismo, pequenos traumas e formações congênitas.

Os cuidados e tratamentos da lombalgia vão desde uso de medicações prescritas por médicos, e em casos mais graves as intervenções cirúrgicas são necessários, assim como sessões de fisioterapias e exercícios físicos, todos acompanhados por profissionais especializados.  Como prevenção das lombalgias é recomendada a mudança de hábitos, desde alimentação para estabilidade do peso ou redução dele, alongamentos e correções posturais e a prática regular e exercícios físicos orientados por profissional de educação física.

Ter amigos é tudo de bom, não é mesmo? Melhor ainda quando eles fazem bem para a saúde! Estudos recentes da Universidade da Carolina do Norte nos EUA, concluíram que ter amigos faz bem para saúde. A pesquisa publicada no periódico científico Proceedings of the National Academy of Sciences, afirma que manter relações de amizade trazem benefícios para saúde física e bem-estar.

Imagem relacionada

Este estudo apontou que o isolamento social em adolescentes aumenta o sedentarismo e risco inflamatório, e quando há interação social diminui o risco de obesidade abdominal.  A mesma pesquisa observou o mesmo comportamento em idosos, porém com outros marcadores, a pesquisa apontou que o isolamento social aumentou o risco de hipertensão. O estresse provocado pela sensação de isolamento induz respostas inflamatórias nas células, afetando, entre outras coisas, a produção dos leucócitos, estruturas que defendem o organismo de infecções. Para a população de meia idade, o estudo indicou que as interações sociais se mostraram indiferentes, mas que essas conexões tinham grande importância no que diz respeito em diminuir a tensão e o estresse.             

Os pesquisadores reforçam a ideia de médicos e profissionais da saúde alertarem seus pacientes da importância de cultivar amizades.          Mais do que melhorar a saúde física, as relações de amizade têm grande importância na saúde emocional das pessoas. A troca de afeto ajuda a diminuir a liberação de alguns hormônios relacionados ao estresse, como cortisol e adrenalina. Uma pessoa que tem amigos fica menos doente, as amizades reforçam o sistema imunológico. Já falamos aqui no Blog da Corpo em Ação sobre a Serotonina, o hormônio da felicidade, fazer um passeio com um amigo, tomar um café, fazer um happy hour, sair para dançar, todas essas atividades provocam a liberação da Serotonina.

Quem tem amigos tem menores chances de ter ansiedade e depressão e isso possibilita o aumento de peso, baixo astral, mau humor, baixa produtividade e diminuição da autoestima. Quando se tem amigos, há uma melhora na dieta, alívio das tensões, melhora da produtividade e as interações sociais no ambiente de trabalho.               

A Corpo em Ação deseja a todos um ótimo dia do amigo, cheio de saúde e felicidade perto daqueles que fazem com que a nossa jornada seja mais leve, feliz, cheia de paz e amor.

O inverno custou para chegar neste ano; e com estas temperaturas mais baixas bate aquela preguiça clássica de se exercitar não é mesmo?  Sabotar todo o esforço de meses de treinamento e alimentação equilibrada não é uma boa ideia. Esta semana estamos apresentando algumas razões para vocês não correrem para o combo “cobertor + sofá + TV + pipoca”. Vamos seguir firme com o planejamento de atividades físicas regulares, ou até mesmo iniciar alguma que vocês têm interesse. 

O primeiro passo que vocês devem ter em mente é que o corpo que vocês querem ter no verão é construído no inverno. Pode parecer radical, mas faz todo o sentido, quando falamos de treinamento e saúde, não adianta fazer exercícios e dieta de setembro a março e entrar em estado de hibernação de abril a agosto, afinal de contas, não somos urso, não é mesmo?  

Resultado de imagem para atividade física no inverno

Aqueles quilos adquiridos no inverno com o passar dos anos podem permanecer no seu corpo por mais tempo e o efeito sanfona é uma das consequências desse comportamento. Então, vamos treinar no inverno?!

Outro ótimo motivo para treinar no inverno é que com as temperaturas mais baixas o metabolismo acelera para manter a temperatura corporal. Por consequência, quem mantém a rotina de treinamento durante inverno, tem mais facilidade para emagrecer, ou seja, se a meta é perder uns quilinhos, esta é a grande oportunidade.  Com a temperatura mais baixa o corpo irá queimar mais calorias, então, se você está sedentário aproveite para iniciar um treinamento com orientação profissional.

Preguiça de ir para academia ou para pista esportiva da cidade?  Se você suspender o programa de treinamento que tem feito há meses, em aproximadamente duas semanas o seu esforço irá pelo ralo. Conforme a Professora da Corpo em Ação Renata Bernardini (CREF 27687-G/RS), o corpo entra em destreino rapidamente, o mesmo tempo que você levou para chegar até onde está hoje, será o tempo proporcional para retomar caso você pare por um período mais prolongado. 

Suspender o treinamento causa stress? Sim. Os níveis de endorfina baixam devido a redução da capacidade aeróbia, provocando o famoso “mau humor”. Então, não há motivo melhor do que esse para manter-se focado. Ainda falando de endorfina, o hormônio da felicidade não é ativado apenas com chocolates, a atividade física produz endorfina que afugenta a depressão.          Está frio e como eu devo me agasalhar para treinar? A professora Renata ressalta a importância de usar luvas e gorros caso o treino seja ao ar livre, pois perdemos calor pelas extremidades. Use roupas coladas ao corpo, isso ajuda a manter a temperatura corporal. Se agasalhe com calças e mangas compridas, conforme o corpo irá se aquecendo vá tirando as peças. Suou? Leve uma camiseta seca para academia, não fique com a roupa molhada no corpo.

No aquecimento como devemos proceder? Aquecimento leve como alongamentos e pequenos tiros de corrida para quem está acostumado ou uma caminhada em ritmo de trote por alguns minutos também é uma opção, pois com o frio, a musculatura fica mais tensa e contraída.

Durante a prática de atividade física prefira a respiração nasal para que o ar chegue aquecido aos pulmões.

Mas afinal, o que é dedo em gatilho?

Dedo em gatilho é conhecido por Tenossinovite Estenosante. É considerado uma LER/DORT (lesão por esforço repetitivo e distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho), está presente no grupo das mais comuns na região das mãos, juntamente com a síndrome do túnel do carpo.

A Tenossinovite Estenosante é uma inflamação nos tendões flexores dos dedos e sua bainha, estruturas responsáveis pela flexão (dobra) dos dedos da mão. É uma condição caracterizada pela dor no trajeto dos tendões flexores na região do túnel osteofibroso, provocando a formação de um nódulo na base do dedo. Esta patologia pode ocorrer de forma unilateral (em apenas uma das mãos) ou bilateral (podendo ocorrer nas duas mãos), pode ocorrer também, simultaneamente, em mais de um dedo da mesma mão.

O dedo em gatilho trava o dedo comprometido em posição dobrada, mesmo se esforçando para estender o dedo, a pessoa não consegue realizar o movimento de extensão forma voluntária.

Os fatores de risco desta patologia vão desde atividades esportivas, micro trauma, esforços repetitivos, má postura, mobiliário inadequado, posicionamento incorreto das mãos ao digitar, longas jornadas de trabalho, atividades manuais de extremo esforço. As causas ainda são desconhecidas, mas alguns problemas de saúde estão associados ao surgimento do dedo em gatilho como hipotireoidismo, reumatismo, diabetes e complicações relacionadas a artrite. Há também as ocupações de risco, que estão relacionadas ao labor, como operar máquinas, uso de instrumentos de força como alicates e tesouras, tocar instrumentos musicais. Somente entre 2010 e 2012, a Previdência Social concedeu 370 mil auxílios-doença a pessoas que tiveram algum prejuízo na saúde devido a essas lesões no trabalho.

A patologia é mais comum em mulheres por estar relacionada a diabetes e artrite reumatoide, ocorre com mais frequência em pessoas dentro da faixa etária dos 40 aos 60 anos. Os sintomas mais frequentes são inchaço nas mãos ao acordar, dedo preso ao acordar, rigidez, o dedo estende com auxílio de outros dedos, dor ao dobrar e esticar os dedos. O diagnóstico é realizado por médico ortopedista especializado em mãos. Com uma anamnese e exame clínico já é possível diagnosticar a doença. Mas o médico pode solicitar exames como, ressonância magnética ou ultrassom para analisar o avanço e o grau que a doença se encontra. O tratamento tradicional é feito com medicação prescrita pelo médico e em casos mais graves a intervenção cirúrgica é recomendada. O tempo de recuperação é de 10 a 12 dias até a retirada dos pontos, podendo ser encaminhada para fisioterapia em alguns casos.

Confira alguns exercícios que auxiliam na prevenção: 

– Estique o braço para frente com a palma da mão para cima. Com a outra mão, puxe os dedos para baixo. 
– Abra e feche a palma da mão várias vezes, para fortalecer os dedos. 
– Faça movimentos giratórios com a cabeça para os dois lados e depois para frente e para trás. 
– Sentado, eleve a perna, segure o assento da cadeira e gire o pé para os dois lados. 
– Levante os braços, junte as mãos acima da cabeça e alongue o corpo.

Confira a reportagem sobre Dedo em Gatilho, realizada no Programa Bem Estar de 2013: globoplay.globo.com/v/2716750

Cervicalgia é a dor na coluna cervical, essa dor pode ser crônica ou aguda. Como diferenciar a dor crônica da aguda? A dor crônica é uma dor que dura semanas e a dor aguda é uma dor que dura apenas alguns dias e logo passa, por exemplo, o torcicolo é uma típica cervicalgia aguda.

As possíveis causas são o excesso do uso de smartphones, longas jornadas de trabalho em frente ao computador, movimentos bruscos, traumatismo cervical (pode ocorrer em acidentes de carro, mergulho mal feito e outros.), stress causando rigidez muscular, envelhecimento, obesidade, má postura, lesões musculares ou articulares são a maioria das causas da cervicalgia aguda, permanecer muito tempo na mesma posição. A cervicalgia crônica é normalmente causada pela artrose das vértebras cervicais ou hérnia cervical.

Os sintomas da cervicalgia são: dor de cabeça, dor na nuca que irradia para ombros e braços, tonturas, mudanças de postura e formigamentos do pescoço. Quando a dor se situa de um só lado e se espalha para o ombro ou braço, ela é chamada de nevralgia cervicobraquial.

Os tratamentos são variados, variam conforme a causa da cervicalgia, e sempre deve ser recomendado pelo médico ortopedista ou fisiatra. O tratamento deve ser seguido à risca. Podem ser recomendados medicações, fisioterapia, musculação e atividade física, acupuntura, massoterapia, alongamentos, pilates, entre outros.

“Sinto mais fome no inverno do que no verão”. É muito comum ouvirmos esta afirmação, e ela faz todo sentido, pois para manter aquecido o nosso corpo, na baixa temperatura, nosso organismo busca mais energia. Por isso, aumentamos a ingestão dos alimentos nos meses mais frios. Mas isto não é justificativa para sair comendo tudo que tem de delicioso por aí sem moderação, é necessário ter equilíbrio para não ganhar uns quilos a mais.

Confira as dicas que separamos para não perder o foco da dieta e chegar no verão sem preocupações.

  • Aproveite a época para consumir sopas de legumes, elas são leves e muito nutritivas, excelente para consumir a noite. Pode acrescentar uma proteína e quinoa também.
  • É muito frio para comer salada? Substitua a salada por legumes no vapor, que assim como a salada, tem baixas calorias e são ricos em nutrientes;
  • A água continua sendo fundamental, então, não podemos descuidar da hidratação nem no inverno.  Mesmo incluindo chás e cafés para aquecer, nos intervalos a água segue sendo indispensável;
  • O consumo de frutas da estação deve seguir no plano alimentar por conta das fibras e evita aquela escapada da dieta;

Conforme a Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional do Governo Federal (CAISAN), a alimentação adequada e saudável aumenta a imunidade e pode prevenir doenças. Evite alimentos processados e dê prioridade aos alimentos in natura, pois estaremos colaborando para melhorar a nossa imunidade.  Aproveite o Inverno e suas delícias com moderação e equilíbrio. Caso tenha interesse em aproveitar a estação para fazer uma reeducação alimentar ou uma dieta para perda de peso, procure a orientação de um Nutricionista neste processo.