Categoria Ergonomia

Não há comprovação científica, mas basta caírem alguns graus na temperatura que lá estão aquelas dores incômodos nas articulações. Elas podem persistir durante o dia ou por alguns minutos ou horas. São as chamadas dores de frio. Se você já sentiu ou sente essa dor, a boa notícia é que não há nada de errado com o seu corpo e que, inclusive, existem formas de amenizar ou mesmo acabar com as dores de frio. Basta fazer alongamentos diários ou, simplesmente, movimentar o corpo.

 

O frio tende a causar a contração do corpo, para reter calor. As dores viriam de um enrijecimento dos músculos e articulações.  “As pessoas tendem a ficar mais quietinhas do que se exercitarem. Deveria ser o contrário. A dica desses períodos é sair do cobertor, jogar a preguiça de lado e manter a atividade física. Junto com um bom aquecimento e um bom alongamento”, explica Révia Lima, fisioterapeuta da Sportfisio,.

Uma dica para combater as dores de frio é o alongamento da coxa

 

Os maiores vilões são os joelhos. Eles sustentam o maior osso do corpo humano, o fêmur. Além disso, é uma articulação que utilizamos diariamente em atividades funcionais. Outra região importante é o quadril, que por ter uma musculatura forte, não recebe tanta atenção quanto as demais partes do corpo. Um exercício simples, que pode ser realizado com frequência, é o alongamento da coxa.

 

Dor tem idade?

 

Elas podem estar presentes em qualquer idade. Mas, à medida que se envelhece, elas tendem a acentuar. Com o passar dos anos, há o desgaste natural das articulações. As cartilagens tendem a ficar mais frágeis e, consequentemente, sente-se mais dor. Isso pode se transformar em algo patológico, como é o caso das artroses, que incidem principalmente nas articulações dos joelhos, coluna, quadril, mãos e dedos. É a mais comum das doenças reumáticas e atinge 70% das pessoas acima dos 70 anos. Em tempos de frio, quem sofre da doença deve buscar atendimento especializado, para que os exercícios sejam adequados.

 

“Hoje em dia, sabemos que a atividade física é o mais importante. A pessoa pode ter uma articulação totalmente destruída, mas, se tem uma musculatura forte, não vai sobrecarregar a articulação. Essa é a grande prevenção, uma musculatura forte” atenta Révia Lima, “A atividade física deve ser orientada. Cada um tem a sua capacidade e deve ser feita uma atividade em cima da particularidade. Ao contrário haverá lesão”.

O friozinho do inverno é um convite para ficar mais tempo na cama e, mais ainda, bem longe da academia. Mas poucos sabem que esta época é a melhor do ano para praticar atividades físicas. Fazer exercício no frio pode aumentar em até 30% a queima de calorias. É o que garante o pesquisador Luis Carlos Oliveira, do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul (Celafiscs), órgão ligado à Secretaria estadual de Saúde de São Paulo. Segundo o especialista, o clima mais ameno leva o corpo a precisar queimar mais calorias para manter-se aquecido.

 

 

Além de ser saudável e apresentar menos riscos à saúde, as atividades tornam o coração menos vulnerável a doenças crônicas não transmissíveis, responsáveis por cerca de 300 mil de óbitos no país — defende Oliveira.

Outra consequência é o aumento do apetite. Quanto maior a sensação de frio, maior a fome. Isso ocorre porque, para manter a temperatura básica do organismo, o metabolismo precisará acelerar o seu funcionamento, o que pode ser até cinco vezes o normal.

Ainda de acordo com o pesquisador, no inverno, as pessoas ingerem um número maior de alimentos com grande quantidade de gordura, como chocolate quente, feijoada, sopa; por isso, segundo ele, é importante praticar os exercícios, lembrando sempre da importância do alongamento antes das atividades, que podem evitar lesões musculares mais graves.

Mas não podemos generalizar, pois os resultados dependem da quantidade e da intensidade do exercício, e principalmente de uma alimentação adequada-completa Oliveira.

Ele lista alguns cuidados necessários antes de fazer exercícios com as baixas temperaturas:

  1. Mesmo com o clima frio, o ideal é usar roupas leves, como calça e casaco de moletom. Abafar o corpo com muita roupa faz eliminar sais minerais em excesso, o que não é saudável;
  2. O corpo em repouso leva mais tempo para atingir a temperatura ideal para a atividade física, por isso é importante aquecer e alongar;
  3. Hidratação antes, durante e depois do exercício é essencial, pois, assim como no verão, o corpo perde líquido através da transpiração.

Todo esporte precisa ser praticado com equipamento adequado, principalmente aqueles que exigem mais impactos nas articulações, como por exemplo, a corrida. O tênis é o principal item  e deve ser escolhido de forma cuidadosa para não causar aquela dor no pé e lesão.

Mas antes de escolher o modelo do tênis, o praticante  precisa conhecer os diferentes tipos de pisada. Existem três tipos de pisada:

PISADA NEUTRA: onde se inicia o contato com o solo do lado externo do calcanhar e então ocorre uma rotação moderada para dentro, terminando a passada no centro da planta do pé.

PISADA PRONADA: onde a pisada também se inicia do lado externo do calcanhar, ou algumas vezes um pouco mais para a parte interna, para então ocorrer uma rotação acentuada do pé para dentro, terminando a passada perto do dedão.

PISADA SUPINADA: onde a pisada inicia no calcanhar do lado externo e se mantêm o contato do pé com o solo do lado externo, terminando a pisada na base do dedinho.

TESTE DO PÉ MOLHADO:
Para descobrir que tipo de pé é o seu, uma forma simples é fazer o “teste do pé molhado”. Para tanto siga os procedimentos:

  1. Coloque uma folha de jornal em uma superfície plana no chão
  2. Molhe a sola do seu pé direito (em uma bandeja, por exemplo)
  3. Dê um passo lento sobre a folha de jornal, pisando do calcanhar para os dedos (como se estivesse andando sobre o jornal)
  4. Faça o contorno (com uma caneta) da mancha que ficou no papel e compare o desenho resultante com as 3 figuras acima, para ver com que tipo de pé o seu mais se assemelha.

Confira um vídeo interessante sobre o tema:

 

Apesar das doenças cardíacas estarem aumentando nos dias atuais, as pessoas ainda dedicam pouca atenção para a importância da atividade física, principalmente para a manutenção da saúde do coração.

A prática regular de um exercício físico beneficia amplamente qualquer indivíduo. Além disso, é uma das principais medidas de prevenção de doenças cardíacas. Você só precisa dar o primeiro passo para deixar o sedentarismo de lado.

Ao eliminar o sedentarismo, as chances de desenvolver doenças como infarto, Acidente Vascular Cerebral (AVC) – popularmente conhecido como derrame – e câncer são menores.

Além disso, a prática regular de uma atividade física auxilia no controle do peso, da pressão arterial e do nível de açúcar no sangue, diminui o estresse e aumenta a taxa de colesterol ‘bom (HDL) no organismo.

O recomendado é praticar exercícios em que se possa movimentar grandes grupos musculares: caminhada, corrida, entre outros. Mas deve-se ter em mente que a intensidade da atividade precisa ser controlada, ou seja, não pode gerar desconforto.

Para que o exercício tenha o melhor efeito possível sobre a saúde, é importante uma boa orientação. Ao final da sessão de exercícios é fundamental realizar alongamentos, pois contribuirão para a recuperação da musculatura e para aumentar a flexibilidade articular.

Converse com um cardiologista sobre a importância da atividade física. Nenhuma atividade física deve ser iniciada antes de uma consulta com um cardiologista para avaliação do estado geral de saúde. É possível que o médico faça alguns testes para verificar sua capacidade cardiorrespiratória e determinar qual é a intensidade de exercícios que seu corpo pode suportar.

Outro ponto que é preciso ressaltar é que os exercícios físicos devem ser praticados somente com orientação de um profissional da educação física.

Efeitos do Exercício:

Quando você se exercita, a frequência cardíaca aumenta, para fornecer mais sangue oxigenado para os músculos. Quanto mais você se exercita, mais forte será o seu coração. A prática de atividade física também estimula o crescimento de novos vasos sanguíneos, diminuindo a pressão arterial.

 

Assine nosso boletim e receba dicas para melhorar a qualidade de vida e performance da sua equipe

Ministério do Trabalho alerta para o perigo da doença

Em 2016, 10.732 trabalhadores foram afastados das atividades laborais em razão da trombose e de doenças a ela relacionadas, conforme a Previdência Social.

Passar horas parado em pé ou sentado faz parte da rotina de muitos trabalhadores. Esse fator aumenta o risco de doenças como a trombose, que tem no seu Dia Nacional de Combate à Prevenção em 16 de setembro. Em 2016, 10.732 profissionais solicitaram auxílio-doença de origem previdenciária e acidentária, conforme os dados mais recentes da Previdência Social. (mais…)